Fampesc realiza evento sobre programa Nova Indústria Brasil

Fampesc realiza evento sobre programa Nova Indústria Brasil

A Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Fampesc) promove um evento online e gratuito para detalhar o programa Nova Indústria Brasil (NIB), nesta terça-feira (5), às 14h, com a participação da coordenadora-geral de Desenvolvimento Industrial do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Léa Contier De Freitas. O acesso é pelo link bit.ly/novaindustriabrasil.

Lançado em janeiro pelo governo federal, o NIB visa impulsionar a indústria nacional até 2033, com investimentos previstos de R$ 300 bilhões até 2026, e reconhece o papel crucial das micro e pequenas empresas (MPEs) nesse processo.

A previsão é de que o programa proporcionará às MPEs: acesso a crédito e financiamento; qualificação profissional; apoio à inovação e pesquisa; compras públicas. Para obter mais informações sobre o Programa Nova Indústria Brasil e as oportunidades disponíveis para as MPEs, consulte o canal: (https://www.gov.br/mdic/pt-br).

“A atividade é uma excelente oportunidade para os empreendedores catarinenses conhecerem melhor o programa e também para as lideranças das associações em cada região, para que levem para a base esta iniciativa importante para fomentar o nosso segmento, reconhecido como o que mais emprego gera no país”, afirmou Rosi Dedekind, presidente da Fampesc.

Procon atende denúncia da Fampesc e fiscaliza preços altos do GNV

O Procon está fiscalizando e notificando diversos postos de combustíveis pelo preço praticado na venda do GNV. A ação, que já aconteceu em Tubarão e São José, atendeu denúncia da Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (FAMPESC), da Associação de Convertedoras de Gás Veicular (ACGNV) e da AMPE de Tubarão, encaminhada ao Diretor Geral do Procon/SC, Leonardo Branco.

De acordo com as entidades, no primeiro dia deste ano, a SCGÁS, anunciou a redução da tarifa em 8,5% no GNV e esse desconto não chegou ao consumidor final. Vários postos inclusive aumentaram a tarifa no final de 2023 e deram um desconto aquém do recebido pela fornecedora no início de janeiro.

“Essa pratica vem impactando toda a cadeia produtiva, inviabilizando o uso do gás natural e afetando de forma direta várias empresas que trabalham nesse segmento, além do prejuízo causado aos motoristas de aplicativos, pequenas transportadoras e milhares de usuários do GNV”, ressaltou Rosi Dedekind, presidente da Fampesc.

Convocação para Assembleia Geral Ordinária

Prezado(a) Senhor(a)

Cumprimentando(a) cordialmente, venho por meio deste, convida-lo(a) para Assembleia Geral Ordinária da Fampesc, que será realizada no dia 1 de julho de 2023, com sua primeira chamada às 10:30h e a segunda chamada às 11:00hs, no auditório do Hotel Geranium, sito a Av. Brasil, 2970, na cidade de Balneário Camboriú – SC, com a seguinte ordem do dia:

  • Posse do novo Conselho Fiscal gestão 2023-2025
  • Atualização do Estatuto Social da Fampesc
  • Financeiro – contribuição mensal
  • Palavra Livre

Desde já, agradecemos a confirmação de presença com Cleones através do WhatsApp (47) 99134-1370 ou pelo email: fampesc@fampesc.org.br.

 

Atenciosamente,

 

Rosi Dedekind

Presidente da Fampesc

Antonio Demos

Presidente do Conselho Deliberativo da Fampesc

Fampesc realiza Reunião com Executivos e Consultores do PNSfampesc-realiza-reuniao-com-executivos

A Fampesc realizou a capacitação de seus três novos consultores do Programa de Núcleos Setoriais (PNS), em parceria com o Sebrae, entre os dias 9 e 11 de maio, em Joinville, na sede da Ajorpeme. Os novos colaboradores participaram do Encontro de Executivos e Consultores do PNS, realizado no mesmo período, e já começaram a trabalhar imediatamente junto às associações, em todo o estado.

O planejamento geral da Fampesc para 2023/2024, melhorias na comunicação interna e externa, a metodologia de trabalho dos núcleos setoriais e as estratégias de crescimento das associações foram alguns dos temas desenvolvidos durante os três dias.

“Foi uma atividade muito rica, onde pudemos tirar ações práticas tanto para a demanda das associações, que envolve a necessidade de trazer mais empresários para sua base, com o apoio fundamental do Sebrae, quanto para a atuação institucional da Fampesc, na luta por políticas públicas que melhorem o ambiente de negócios para as micro e pequenas empresas e MEIs”, avaliou Rosi Dedekind, presidente da Fampesc.

fampesc-realiza-reuniao-com-executivos

Fampesc pede votação de projetos que corrijam distorções do Simples Nacionalfampesc-pede-votacao-de-projetos-que-corrijam-distorcoes-do-simples-nacional

A Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedor Individual de Santa Catarina (Fampesc) entregou documento à bancada catarinense no Congresso Nacional, com pedido de apoio para que o Legislativo coloque em pauta os projetos que corrigem o Simples Nacional. O encontro foi realizado nesta terça-feira (11), em Brasília, durante jantar que reuniu deputados federais e senadores do Estado e integrantes do Conselho das Federações Empresariais de SC (Cofem).

O ofício entregue à deputada Caroline De Toni, coordenadora da bancada catarinense, também foi encaminhado ao presidente da Câmara Federal, deputado Arthur Lira. O segmento reivindica a urgente atualização dos limites do Simples, que não são reajustados desde 2006.

“Segundo o índice inflacionário acumulado entre 2006 e 2022, o limite original de R$ 3,6 milhões deveria ter sido corrigido em 148,75%, apenas para que houvesse a manutenção da intenção original do programa”, lembra Rosi Dedekind, presidente da Fampesc.

Os novos tetos de faturamento anual pleiteados são: MEI – R$ 144 mil; microempresa – R$ 869 mil; empresa de pequeno porte – R$ 8,6 milhões. Outro ponto previsto é a liberação de contratação de dois funcionários para cada MEI. Hoje, um microempreendedor individual só pode contratar um empregado.

SUBLIMITE

A Fampesc também pede o fim do sublimite do Simples nos estados. Com a regra, as empresas que percebem um faturamento anual entre R$ 3,6 milhões a R$ 4,8 milhões, estão obrigadas a apurar o ISS e o ICMS por fora do Simples, segundo o regime geral (Lucro Real ou Lucro Presumido). “Com essas distorções, os negócios sofrem a elevação da sua carga tributária, pois são obrigados a optar pelos regimes do lucro real ou presumido, simplesmente porque seu faturamento bruto está submetido aos reflexos inflacionários, enquanto o limite legal do Simples Nacional não”, explica Rosi Dedekind.

A Fampesc destacou que o Simples Nacional possibilitou a abertura de milhares de empreendimentos, com a geração de emprego e renda, retirando da informalidade uma série de negócios, proporcionando a inclusão social e o crescimento econômico. Segundo dados do Sebrae, cerca de 99% dos negócios estão enquadrados no regime, que é responsável por quase 70% dos postos de trabalho providos no país.

Rosi Dedekind foi reeleita para mais dois anos de mandato

Nova diretoria da Fampesc toma posse neste sábado e apresenta demandas dos pequenos negócios

A nova diretoria da Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedor Individual de Santa Catarina (Fampesc) toma posse neste sábado (4), na sede da Ampe Blumenau – Rua Humberto de Campos, 245. A presidente reeleita Rosi Dedekind, terá mais dois anos de mandato. Entre as prioridades, estão políticas públicas que melhorem ainda mais a desburocratização e promovam o crédito mais barato, além do cumprimento da Constituição Federal quando determina o tratamento favorecido e diferenciado para o segmento.

A programação prevê, às 9h15, a apresentação do Programa Associativismo 4.0, feita pelo presidente da Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais (Conampe), Ercílio Santinoni. Às 11h está marcada a posse da Nova Diretoria Executiva da Fampesc e do Conselho Deliberativo – Gestão 2023-2025.

Os pequenos negócios representam 99% de todas as empresas do Brasil, são responsáveis por 30% do Produto Interno Bruto e pela criação de 72% dos empregos no país durante o primeiro semestre de 2022. Em nível nacional, a Fampesc destaca a necessidade urgente do aumento do limite do Simples Nacional.

Em Santa Catarina, a Fampesc defende, entre outros pontos, a ampliação do Programa Juro Zero Estadual para as micro e pequenas empresas, a preferência pelos pequenos negócios nas compras públicas e a reativação do Fórum Estadual Permanente das Microempresas, das Empresas de Pequeno Porte e dos MEIs.

Nova Diretoria

FAMPESC
Assessoria de Imprensa
Cláudio Schuster
(48) 99163-4269

Assembleia Geral Ordináriaassembleia-geral-ordinaria

Prezado(a) Senhor(a)

Cumprimentando(a) cordialmente, venho por meio deste, convida-lo(a) para Assembleia Geral Ordinária da Fampesc, que será realizada no dia 4 de fevereiro com sua primeira chamada às 10:30h e a segunda chamada às 11:00hs ,na sede da Ampe de Blumenau, sito a Rua Humberto de Campos, 245 na cidade de Blumenau SC, com a seguinte ordem do dia:

  • Posse da Nova Diretoria Executiva da Fampesc Gestão 2023-2025
  • Composição e Posse do Novo Conselho Deliberativo da Fampesc Gestão 2023-

    2025

  • Palavra Livre
  • Reunião do Novo Conselho Deliberativo – escolha de presidente e vice.

    Desde já, agradecemos por sua participação. Atenciosamente,

    Antonio Demos
    Presidente em Exercício do Conselho Deliberativo da Fampesc

Entidades fakes: cuidado com o golpe do boleto falsoentidades-fakes-cuidado-com-o-golpe-do-boleto-falso

Recentemente, começou a circular um novo golpe entre Microempresas, MEIs e pequenas empresas, que estão recebendo falsos boletos falsos de entidades e associações que existem e até mesmo com o nome de entidades desconhecidas.

Em alguns casos, o destinatário fica sabendo que ele está sendo convidado a se filiar à tal entidade e que o pagamento é facultativo.

entidades-fakes-cuidado-com-o-golpe-do-boleto-falso

A presidente da FAMPESC, Rosi Dedekind, explicou mais sobre isso em entrevista à ND+. Se tiver interesse, pode ver a matéria clicando aqui.

Novamente, reiteramos que a FAMPESC não envia boletos para as empresas dessa forma e solicita que, em caso de dúvida, entrem em contato através do nosso telefone (48) 3209-1320 ou através do e-mail fampesc@fampesc.org.br.

Fampesc alerta para risco de alteração nas regras de demissão por decisão do STF

A Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedor Individual de Santa Catarina (Fampesc) manifestou preocupação com a maioria formada no Supremo Tribunal Federal (STF) a favor da inconstitucionalidade do decreto do então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, que descartou a vigência da Convenção n° 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil.

A ação foi movida pela Central Única dos Trabalhadores e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura, em 1997, e retira do empresário a decisão de encerrar as relações de trabalho sem uma causa justificada.

“Ao passar para o empregador o ônus da comprovação do justo motivo para uma demissão, a decisão é particularmente grave para o caso dos pequenos negócios, por desestimular novas contratações, acarretar no aumento da informalidade, sem contar no grande número de ações trabalhistas que podem ocorrer, deixando insustentável a situação já difícil das micro e pequenas empresas”, advertiu Rosi Dedekind, presidente da Fampesc.

Para alguns especialistas, a retomada da Convenção da OIT ainda precisaria passar por uma nova regulamentação legislativa. “Esperamos que, se o caminho for este, o Congresso corrija as distorções”, afirmou Rosi Dedekind.

FAMPESC
Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedor Individual de Santa Catarina

Fampesc critica aprovação de medidas de alto risco para a economia e pede maior atenção aos pequenos negócios

A Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedor Individual de Santa Catarina (Fampesc) lamenta que a agilidade do parlamento brasileiro para aprovar medidas de alto risco para o país não seja verificada na hora de votar temas de real interesse do empreendedorismo e do desenvolvimento econômico.

A PEC fura-teto, que desrespeita o orçamento e o planejamento adequado do país com despesas extras de quase R$ 200 bilhões, bem como a mudança na Lei de Responsabilidade das Estatais, que atende um casuísmo do novo governo, são exemplos do descaso com o dinheiro e o interesse público, para beneficiar uma política assistencialista e voltada a grupos privilegiados.

O Brasil tem o direito de saber exatamente o que o novo governo fará em todas as suas áreas, em especial na economia, já que até o momento só há generalidades e, pior, uma postura estatizante, contrária à liberdade econômica. A Fampesc defende a manutenção das privatizações, políticas públicas de apoio aos pequenos negócios e debatidas de fato com os representantes do segmento, transparência nos gastos e responsabilidade fiscal.

Do Congresso, esperamos celeridade nos projetos que criem um melhor ambiente de negócios e concretamente contribuam para o crescimento econômico e social, bem como o respeito à Constituição, notadamente no que diz respeito ao tratamento diferenciado e favorecido às micro e pequenas empresas, maiores geradoras de emprego no Brasil.

Neste sentido, a Fampesc propõe que prioridade deve ser o aumento do limite do Simples Nacional, medida que efetivamente cria empregos e renda de forma capilar. Nossa gente precisa de oportunidades e condições para empreender. Esperamos que os representantes catarinenses no Senado e da Câmara Federal estejam atentos aos desvios que estão sendo pedidos e que tenham como critério de decisão sobretudo o equilíbrio, a responsabilidade orçamentária e os interesses da Nação.

Rosi Dedekind
Presidente da Fampesc